sexta-feira, 26 de outubro de 2007

Fragmentos #1

Doce como o nosso primeiro encontro, doce como o nosso primeiro olhar, assim é o anoitecer em Bissau. A brisa quente afaga os meus cabelos e recordo aquelas noites de Agosto em que nos entretínhamos a contar estrelas perdidos naquele campo de sonhos. A minha guitarra ainda toca as mesmas canções, a minha mão ainda sente a tua pele prateada pela luz da lua. Lembras-te quando timidamente aproximei a minha mão da tua? E quando os nossos dedos se entrelaçaram pela primeira vez? Sorriste envergonhada e disseste nunca ter tocado uma mão portuguesa. Eu retribuí o sorriso e disse nunca ter tocado uns lábios polacos. Tremi por alguns segundos, não de medo, talvez de ansiedade. Olhei-te nos olhos e vi que já os teus lábios esperavam por mim.

Adenda:
Para evitar problemas de maior, fique bem claro que este texto foi escrito há muito tempo, não tendo hoje qualquer significado especial.
Poderá acontecer muitas vezes, que eu coloque aqui textos mais antigos, simplesmente porque gosto de partilhar com o pessoal aquilo que escrevo, seja aquilo que escrevo hoje, ou aquilo que escrevi ontem. Este é um blog público e pode dar-se por vezes o caso de se criar um mal entendido como esteve prestes a acontecer.

Obrigado.

7 comentários:

Presidente disse...

love in the air....

Fernando Pessoa disse...

o vapor dos barcos a chegar a bissau...foi isso que eu pensei...nesse cenário.

mas eu era menino para tirar isso a limpo.será que vai ser em 2008?

:)

Fernando Pessoa disse...

parece que está na altura de escrevermos um livro a duas mão :) correpondência de bissau a braga...não é uma história de dois panas que estão separados não é isso, a ideia é uma boa novela entre dois países mas sem personagens muito definidas...pessoas sem rosto...com pormenores depaisagens comuns...sei lá pensa nisso :)

Presidente disse...

A nossa vida gira em torno do amor, pelos outros, pelo ar que respiramos, pelo sol, pela lua, foi neste sentido platónico que me referia ao amor (love in the air, não quis nunca ir mais além de que isto. Faz o favor de continuar apaixonado...

Zé Baptista disse...

Não me referia ao teu comentário. Foi outra coisa que já está resolvida.

Zé Baptista disse...

A adenda não tem nada a ver com os comentários postados aqui. Tem a ver com aquilo que eu próprio escrevi e que poderia ter levado a um grande mal entendido.

Fernando Pessoa disse...

deve ser deve...tavas era a levar porrada da maria e vens com a conversa de que foi para evitar mal entendidos...

Abraço

:)