sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

Alguém que me explique

Expliquem-me uma coisa que eu não entendo até porque não sou perito em economia.

Se em 2002 um barril de petróleo custava 70 dólares, o que equivalia, grosso modo a 77 Euros e hoje ele custa 100 dólares, o que equivale sensivelmente a 70 Euros, como é que se pode dizer que o petróleo subiu de preço?

Ou será que o problema está no facto de nós Europeus continuarmos a aceitar o dólar como moeda referência para as transacções internacionais?

Mas. como disse, não sou perito em economia, por isso se alguém me conseguir explicar isto eu agradecia.

8 comentários:

Fernando Pessoa disse...

o cenário é bem pior do que pintas neste post,

em 2002 o preço do barril era de 26 dólares!!!

vejam este artigo de 2006

http://peakoilportuguese.blogspot.com/2006/03/continuao-da-subida-do-preo-do-petrleo.html

eles dizem aqui que se chegar aos 100 dólares o mercado rebentava e descia a procura de certeza, e era impossível de prever o que poderia acontecer.

eu sei quem ganha com isto são as petrolíferas.

num debate de economia esta semana na sic-noticias, diziam que se os preços estivessem em média nos 50 dólares, a economia portuguesa já estaria a crescer acima dos 3 %. isto é um desastre...

RSM disse...

Onde iremos parar???....

Fernando Pessoa disse...

li agora por curiosidade no DN, que há um chamado "mercado de fuuros" em que se compram barris de petróleo com antecedência de anos. há investidores a pagar por esses barris, 200 dólares.

sinal de que não vamos parar...

Fernando Pessoa disse...

"mercado de futuros"

Anónimo disse...

Olha, olha !!!! Agora até faz contas.
Qualquer dia tu é que és o Presidente da Junta.

Anónimo, claro ...

Teté disse...

Se soubesse, também te explicava...

RSM disse...

Olha, olha!!! Afinal ele voltou. Eu que pensava que essa raça (os anónimos) estava extinta... E agora também faz futurologia...

Anónimo disse...

Nahhh, a parte da presidência da junta foi o herman que disse. Mas também quando disse estava bebâdo, portanto vale o que vale.



Nada.