sábado, 29 de março de 2008

caracteres sem som

[839]

Não queiras gostar de mim
Sem que eu te peça
Nem me dês nada que ao fim, eu não mereça
Vê se me deitas depois culpas no rosto
Isto é sincero
Porque não quero dar-te um desgosto

De quem eu gosto nem às paredes confesso
E até aposto que não gosto de ninguém
Podes sorrir, podes mentir, podes chorar também
De quem eu gosto, nem as paredes confesso

Quem sabe se te esqueci ou se te quero
quem sabe até se é por ti
Por quem eu espero
Se eu gosto ou não afinal, isso é comigo
Mesmo que penses que me convences
Isso é comigo

De quem eu gosto, nem às paredes confesso
E até aposto que não gosto de ninguém
Podes sorrir podes mentir podes chorar também
De quem eu gosto, nem as paredes confesso

Podes sorrir podes mentir podes chorar também
De quem eu gosto, nem as paredes confesso

Nem às paredes confesso
Música: Ferrer Trindade, Artur Ribeiro
Letra: Maximiano de Sousa
Intérprete: Amália Rodrigues

3 comentários:

Fernando Pessoa disse...

aos sábados uma letra para pensar.

PontoGi disse...

Lindo.

SBTVD disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.