quarta-feira, 23 de julho de 2008

Livro da vida.

Hoje acabo de escrever o capítulo da Guiné.
Valeu as pena. Balanço positivo.
Deixo para trás um emprego certo mas não quero saber, porque sei onde me apetece estar neste momento e não tenho medo de arriscar.

Não sou escravo da carreira.
A carreira existe para nos servir e não para nos escravizar.

6 comentários:

El Salib disse...

Boa viagem!

Mestre Chou Riçá disse...

Estamos à tua espera :)

Fernando Pessoa disse...

concordo contigo, nunca a carreira nos pode escravizar...só se trabalha para poder viver, e não se pode viver para trabalhar..


mas olha q estes gajos não estão á tua espera :) estão todos enfiados no ninho a trabalhar para ficarem ricos....

O Poeta Morto disse...

ahahaha, falou :)

Onun Ras Al Gull disse...

Mainada! E a culpa desta merda toda é dos pretos!

Sê professor, mas com dignidade. Não desperdiçes o teu tempo/talento. Agora vem ai a silly season e vai ser bonito vai! Aquele abraço.

Ras All gull

Onun Ras Al Gull disse...

Já ouvi dizer que estão a precisar de um prof. de Filosofia na Madeira...