quarta-feira, 15 de outubro de 2008

semana veneza [9]

[1278]

no agradável livro histórias do bom deus do escritor rainer maria rilke, desfiam-se cordelinhos de prosa encantadora. num conjunto de histórias contados pelo protagonista, cujo principal personagem é deus, surge a dada altura uma que se chama no gueto de veneza. era um gueto cujo espaço se tornara cada vez menor e a solução encontrada foi passar a construir em altura. vejamos então a parte final do texto.
.
" [...] Um ancião, homem sábio e experiente, Melchisdech, decidiu que haveria de habitar sempre no lugar mais elevado do gueto, e por isso foi mudando de casa, à medida que novas construções eram feitas. Numa manhã de Outono, de indescritível claridade, Melchisdech foi descoberto na beira do telhado, inclinando-se perigosamente para a frente, como se quisesse sacrificar-se. “O povo em baixo, reunido na praça, olhava para cima. Gestos e ditos dispersos ergueram-se da multidão, mas não chegaram até ao velho solitário que rezava. (…). O velho entretanto continuava a levantar-se com altivez e a baixar-se com humildade. E em baixo a multidão, sem o perder de vista, aumentava sempre. Terá ele visto o mar, ou Deus o Eterno em sua Glória?."
.
é veneza meus amigos. ali tudo se torna possível.

2 comentários:

S. disse...

Ele via o que os outros ignoravam...é a diferença entre a clarividência de quem olha o mundo lá de cima e o cinzentismo dos que se limitam a olhar para os que estão acima de si...

Fernando Pessoa disse...

este livrinho da colecção do DN do verão é uma maravilha. de uma forma simples (genial por isso mesmo) consegue encontrar os cenários reais para introduzir a moral.

e há muito a aprender porque deus em rilke é isso mesmo, a verdade, a amizade, os sentimentos, tudo o que escapa a quem se limita a olhar para cima, a subir nos ombros de outros colegas, enfim o mundo cão de hoje, escrito há meio século. intemporal.