quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Tributo a John Williams

O vídeo chama-se Star Wars mas contém referência a várias outras obras primas da sétima arte. Em comum todos têm a mágica batuta de John Williams (o grande), autor de verdadeiras pérolas músicais que ajudaram a fazer destes filmes obras memoráveis.

A história de Star Wars sublimemente resumida ao som dos temas principais de Encontros imediatos de 3º grau, Indiana Jones, Super Homem, E.T., Tubarão e Parque Jurassico.

Um trabalho fabuloso de Corey Vidal. Vale a pena ver.

6 comentários:

S. G. ex - Fernando Pessoa disse...

isto é fabuloso. deve ter dado um trabalho do ca****! não é industria...gravar isto de maneira a bater tudo certinho deve ter sido bonito.

Indústria disse...

Com jeitinho um dia fazemos um, já estive a estudar o processo e até é fácil. É uma questão de gravar uma coisa de cada vez enquanto vês o que já gravaste num monitor à tua frente. Depois é como se estivesses a cantar com outro gajo ao mesmo tempo.

A única dificuldade tem a ver com a captação do som. Só queremos captar o que está a ser cantado e não a reprodução anterior que estás a ver no monitor e das duas uma, ou usas uns headphones (que nao fica muito bem na imagem) ou arranjas um microfone daqueles xpto que só captam a frequência da voz e na direcção desejada.

A montagem é simples no Vegas Pro (eu tenho) que grava por pistas, som ou vídeo.

Naquelas músicas que eu fazia o processo era esse mas não era gravado na camera, era no p.c. e por isso não havia trip quanto aos headphones.

Temos de fazer uma coisa assim para o blog com músicas de natal, bem jabardadas, e com o Salib a cantar a pomba branca.

Indústria disse...

O fantástico do trabalho do gajo não está tanto nessa parte técnica mas na forma como juntou as músicas e as interpretou. Tá criativo, a composição tá fixe e o gajo canta bem e faz vozes que vão desde os baixos a registos mais agudos. É o "one man show", muito bem!

O Poeta Morto disse...

a nós, ideias não nos faltam... agora fazer é que é o caralho :)

S. G. ex - Fernando Pessoa disse...

pois é indústria, tens razão em relação aos registos que o gajo consegue. é impressionante.

O Poeta Morto disse...

o gajo em casamentos devia ser altamente. ja estou a ve-lo fazer misturas do apita o comboio e afins