sexta-feira, 7 de setembro de 2007

encontro marcado no meu coração

de tempos idos, de longínquas terras e reinos, chegou, pela popular oralidade, um conto que vos vou deixar.

na aldeia de Mermes, vivia uma princesa enamorada de um rapaz. embora proibida pelas leis, o rei nunca viu com maus olhos a ideia, o rapaz era respeitado na aldeia, e tinha boa reputação. então um dia a princesa pediu autorização a seu pai para poder convidar o rapaz a visitá-la no castelo.
passaram-se semanas em que eram vigiados de perto por amas e aias até que um dia ficaram sozinhos no jardim...

- nunca beijei ninguém...
- pois...ainda bem que me escolhes-te para ser o teu primeiro beijo.
- queria que fosse um beijo especial...
- e será. o nosso beijo, seja ele como for será especial...
- então diz-me, quantos tipos de beijos existem no mundo?
- muitos...vou preparar uma lista, para que possas escolher de qual deles gostarás mais. escolhido o teu desejo será uma ordem.

assim foi. enviou-lhe uma longa lista de beijos. beijos húmidos, secos e molhados. beijos tranquilos, calmos e ardentes. beijos de fúria, amor e pacíficos. beijos tristes, alegres e desmesurados. beijos cansados, arfantes e até asmáticos. beijos carinhosos, doces e apetitosos.
tantos que a princesa passou toda a noite a imaginar como seria o seu primeiro beijo.

então no dia seguinte, e quando o príncipe lhe perguntou qual tinha sido a sua decisão a resposta saiu sem hesitação.

- o beijo que mais desejo é o teu. sem adjectivos. confio em ti.

(um beijo, sempre que sentido, é como um tesouro escondido no coração. só quem o quiser sentir a partir daí, jamais quererá outro.
quer queiramos quer não, só assim se pode adjectivar o beijo.)

1 comentário:

O Poeta Morto disse...

ah... maldita cebola que me fazes chorar!!