segunda-feira, 22 de outubro de 2007

fast forward

[311]

festival muito interessante deveras. foi com muito agrado que participamos neste evento. primeiro pelo gosto de criar, mesmo sendo numa área em que não nos sentimos muito à vontade, nem com conhecimentos para criar em qualidade. depois pela emoção de nos sentirmos realizadores. e mais pelo final, pelo prazer de vermos um filme feito por nós passar pelo grande ecrã.

deixamos o nosso vídeo para que todos possam ver. esperemos que vos agrade.

video

O nosso temo foi: Tema # 2: Os super heróis já não voam.

Para saberem mais vejam na página do Fast Forward os outros temas "marados" e ainda os vencedores.

Deixo apenas uns reparos:

  1. como podem os próprios da casa participar sabendo eles com mais antecedência os temas?

(adenda de hoje: (23/10/2007) Garantiram da Velha-a-Branca que ninguém da direcção participou no festival, reconheço o meu erro).

  1. as músicas exigidas eram originais e depois aparecem músicas que toda a gente sabe de quem são? (a nossa música é da banda bracarense "signus" - estiveram na final das bandas de garagem do bragaparque - e é original, nunca foi editada, e cederam os direitos dela).
  2. depois a questão do tempo dos filmes, não era suposto serem só 3 minutos?

Por aqui nos ficamos. para a próxima comecem o festival a horas por favor....saimos de lá às 2 da manhã!

p.s. o pedro do avenida ia ficando de pé :)

16 comentários:

Presidente disse...

Bora lá para cannes...

Luís Tarroso Gomes disse...

Olá:

Respeito a tua opinião, mas não posso aceitar que partas de pressupostos que são inteiramente falsos:

1. Ninguém, com excepção da direcção do Fast Forward, conhecia os temas antes das 21h do dia 19. Essa é uma regra de ouro do festival. Eu próprio até às 21h não os conhecia e sou um dos responsáveis da Velha-a-Branca. De qualquer forma os temas só foram definidos pela Direcção do FF já na sexta-feira, poucas horas antes da sua divulgação. Não percebo como chegas à conclusão de que alguém os conhecia previamente...

2 e 3. As equipas que escolheram músicas não originais ou excederam os 3 minutos (sem créditos e genérico) foram penalizadas por isso. O júri recebe da direcção do FF uma listagem com essas observações.

Tens razão quanto ao não cumprimento da hora marcada para a exibição dos filmes. Sucede que, apesar das nossas recomendações escritas, muitas equipas trouxeram ficheiros incompatíveis o que atrasou a preparação de cada um dos 45 filmes e de cada um dos separadores. Por outro lado, como foi notório, apareceram demasiadas pessoas para os 220 lugares do IPJ o que nos causou imensos problemas para manter a regra da prioridade de acesso dos concorrentes ao auditório (afinal o festival é em primeiro lugar das equipas). Certo é que a próxima edição do Festival será num espaço maior.

Anónimo disse...

Boa noite!
Sendo um dos responsáveis pela organização do Fast Forward Portugal, não posso deixar de colocar um breve comentário ao que aqui vem escrito, especificamente acerta do ponto 1 (julgo que o meu colega Luís Tarroso já clarificou as questões relativas aos pontos 2 e 3), que é grave.
Quando se faz uma pergunta afirmando "como podem os próprios da casa participar sabendo eles com mais antecedência os temas?" deve ter-se alguns dados e informações. Ou então, será somente uma afirmação precipitada.
Espero que reconheça que é este o caso. É que organizar este festival que queremos sério para com os concorrentes, público, patrocinadores e parceiros internacionais não é propriamente uma brincadeira. E obriga a muitos meses de trabalho.
Pelo absurdo da afrmação, julgo nem valer a pena dizer muito mais.

E, claro, espero que reconsidere o que escreveu. Também pelo respeito pelos seus leitores.

Domingos Silva

Fernando Pessoa disse...

Caríssimo Luís Tarroso Gomes,

Antes se mais devo dizer que admiro muito o vosso trabalho (desde há muito anos, com o projecto braga tempo), e como tal, todo e qualquer comentário da minha parte, não terá qualquer sentido depreciativo mas será feito com o intuito de melhorar o festival, ou qualquer outra actividade.

Devo realçar, com especial ênfase, o trabalho feito pelos geógrafos da casa que me deixa muito orgulhoso em o ser também, sendo que eles fazem pela "classe" muito mais que muitos professores...

adiante...

quanto ao festival só refiro facto da tua participação (com um óptima curta, "a secretária") pelo facto de ser normal não participarem elementos da organização na maioria dos eventos. Também o fiz porque a vossa curta tem uma parte na praia e por isso me pareceu feito com mais tempo.

Ainda bem que as curtas que excederam o limite de tempo e as que tinham músicas não originais, foram penalizadas. não sei como ou em que medida isso foi feito, mas ainda bem.

Quanto à organização, todos nos apercebemos do tempo que levou a passar os filmes para o vosso lado. com o nosso aconteceu o mesmo. daí o comentário ter sido feito com ironia. e o festival já merecia o thetro circo.(embora o vosso inimigo público não vá deixar de certeza).

Já agora podiam comprimir os filmes para quem quer ver? É que mesmo eu que lá que estive lá tenho dificuldade em perceber uma das menções honrosas e o vencedor do público (aos filmes não estão associados os temas e torna-se difícil)

por aqui fico com um pedido de desculpas se fomos mal entendidos. Reiterando a minha admiração,

cumprimentos,

Sérgio Gomes



Caro Domingos,

Gostava de referir mais uma vez que o meu comentário foi no sentido de toda as organizações não participarem nos eventos que organizam. é obvio que quem está de fora não sabe quem participa na organização especificamenete. na tua entrevista (com o luís na RUM) deixaram a ideia de que conheciam os temas, sendo lógico que poderiamos aferir que assim sendo teriam essa informação.

assim retiro o que disse em relação ao "já conheciam os temas com antecedencia".

voltando a reiterar o respeito pelo vosso trabalho,

saudações de geógrafo para ti,

Sérgio Gomes

Fernando Pessoa disse...

é com agrado que verifico que estão atentos a este blog.

Luís Tarroso Gomes disse...

Sérgio:

Também acho que a curta "a secretária" é óptima mas não tenho nada a ver com a sua realização. Basta leres bem a ficha técnica para perceberes o teu erro...

http://www.pedroguimaraes.net/fotocafe_v2/?p=208

Agradeço as tuas palavras simpáticas mas não posso deixar passar sem resposta este (teu) erro que põe em causa a credibilidade do festival e a minha.

Fernando Pessoa disse...

muito bem "mea culpa" não participas na curta...é só um homónimo...

repito que nunca quis pôr em causa a credebilidade do festival e a tua muito menos.

Fernando Pessoa disse...

de facto pedro guimarães faz uma crítica ao júri que reconheço ser pertinente...mas perder tem de ser aceite. tal como ganhar.

Pedro disse...

Sérgio:

É interessante como um comentário desleixado pode por em causa a idoneidade de tantas pessoas. Imagino que não tenhas associado de uma forma reflectida o apelido que aparece na ficha técnica ao Luís, mas a procura de evidências na curta metragem “A Secretária” que pudessem revelar o conhecimento antecipado do tema acaba por afectar outras pessoas. A equipa que integrei não tinha qualquer conhecimento dos temas previamente. A ida à praia foi mesmo realizada na manhã de sábado, aproveitando o nascer do sol para ter luz suficiente para filmar. Não houve qualquer imagem da curta metragem “A Secretária” que não tivesse sido gravada nas 20 horas seguintes à entrega do tema.
Respeito a tua opinião mas não poderia deixar de reparar esse erro. O festival tem os seus defeitos mas a tendência parece ser evoluir de forma positiva. Também não concordo com alguns aspectos da organização (incluindo o tipo de avaliação das curtas pelo júri...), mas se é difícil realizar a curta em menos de 24 horas, não deverá ser menos difícil organizar entre duas a três centenas de pessoas em pouco mais tempo.

Cumprimentos,
Pedro Tarroso

Fernando Pessoa disse...

meus amigos ordem na casa...

Caro pedro t. (só para não fazer masi confusão,

1º já assumi o meu erro...ninguém da organização participou nas curtas. ponto final nessa parte.

2º a associção do sobrenome foi irreflectida, sim senhor, apenas e só porque em dezenas de pessoas que contacto todos os dias, nunca vi outro tarroso. como pode imaginar em 46 curtas com tantos pormenores, procurar encaixar o máximo de informação pode ser cansativo e levar a equivocos.esse foi um deles pelo qual já me retratei.

3º reafirmo que o princípio deve ser o da não participação das organizações e como tal, voltaria a fazer o mesmo comentário, sem o erro obviamente.

4º a organização esteve bem no global e por isso eu não critiquei a organização, mas pequenos aspectos, e de uma forma construtiva.

5º tentar encontrar nos meus comentários alguma forma de vos prejudicar ou denegrir a imagem parece exagerado e a isso não vou responder.

6º parece que não vamos poder entrar na velha por uns tempos (tens razão miguel :)

miguel disse...

Gostava tanto do café nas mesinhas da velha, mas parece que não vai ser possivel tão cedo.
Para a próxima ve os filmes até ao fim, incluindo o genérico, a mania de mudar de canal antes de passar o genérico todo dá nisto :)

Luís Tarroso Gomes disse...

Olá:

Opinião crítica é uma coisa, fazer afirmações totalmente falsas é outra. Mas não vale a pena falarmos mais nisso! O assunto está resolvido, principalmente após a tua adenda.

Quanto ao ponto 6 "parece que não vamos poder entrar na velha por uns tempos" - espero que seja uma autopenalização tua :) porque da nossa parte podes aparecer quando quiseres.

Aliás, se quiseres ver as 45 curtas aparece no sábado a partir das 23h no VelhaCine.

http://www.velha-a-branca.net/ACT00772.htm

Até breve!

Zé Baptista disse...

Longe de todas as polémicas, infelizmente não pude estar presente no festival, quero apenas fazer um pedido aí ao pessoal.

Tentem mandar o mesmo ficheiro do filme que colocaram no blog para o meu mail. Pode ser que assim eu o consiga ver. É que a net cá por Bissau anda muito fraca e tenho sempre dificuldade em ver filmes (ainda que curtos) em blogs, "youtubes" e sites do género.

Abraços.

P.S.- Na melhor das hipóteses estarei em Braga lá para 16 ou 17 de Dezembro. Na hipótese mais ou menos estarei em Braga a 21 de Dezembro. Na pior das hipóteses o avião cai...

Fernando Pessoa disse...

caro reporter de bissau,

oportunamente enviarei o ficheiro do filme para o seu e-mail.

vá mandando notícias dessa terra quente e gostosa.

Zé Baptista disse...

Agora que finalmente tive a oportunidade de ver o filme, cá vai o meu comentário.

Gostei da ideia. De facto, nos tempos que correm, para ser herói não é preciso andar por aí a passear com as cuecas por fora do pijama, a salvar cromos que insistem estupidamente em se colocar nas mais bizarras situações de risco. Quem viu o primeiro super-homem sabe do que eu falo e sabe também que algumas das pessoas salvas mereciam era acabar atropeladas por um combóio.
O grande herói da vossa curta é o herói moderno que desbrava a cada dias os caminhos do pão e que ao chegar a casa ainda consegue ter uma vida familiar.

Técnicamente sei que o tempo de execução deve ter sido um enorme entrave ao resultado final. Tendo em conta essa condicionante acho que o trabalho final acabou por ser bom.

Não conheço as outras curtas e portanto, não tenho um termo de comparação para poder dizer se mereciam ter ganho ou não.

Fernando Pessoa disse...

Visto que há um visitante que deseja ver aqui um novo comentário (quase todos os dias) eu deixo uma novidade...o Domingos ficou mesmo chateado comigo. Acho que lhe disse o que devia. Julgo que o assunto ficou resolvido. Pedi desculpa pela confusão gerada. Ele deu-me a notícia de que tão cedo não irriam comercializar o DVD da última edição, precisavam de fazer algum dinheiro com o anterior. Fica aqui o meu apelo ao pessoal, comprem o antigo para termos mais rápido o novo.