segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Racismo em Braga

Em pleno centro de Braga, uma mãe viu o seu filho ser "arrancado" do baloiço onde brincava, porque o pai de outra criança achou que o seu rebento tinha "mais direitos" que o outro.
Djariatú Fatú Lopes Mané estava com o filho Rui, de três anos, num parque infantil em pleno centro de Braga, em frente à igreja dos Congregados. Vigiando as brincadeiras do petiz, alarmou-se quando os pais de outra criança forçaram o Rui a sair do baloiço, para que o filho deles ocupasse o equipamento. "Vi o meu filho a ser arrancado pelo senhor, caindo no chão com o lábio superior a sangrar. Corri em auxílio, perguntando o porquê de tal barbaridade. Ele respondeu "O meu filho está no seu país e tem todo o direito de estar no baloiço que o seu filho está a ocupar indevidamente".
Djariatú ficou mais perplexa quando a mãe e a avó da outra criança embarcaram no insulto. "Chamaram-me preta, macaca e prosseguiram 'Vai para a tua terra. Estás em Portugal atrás de comida. Em África passavas fome e vivias no mato'", diz a guineense.
O desespero de Djariatú aumentou quando viu o alegado agressor prosseguir nos seus intentos "apesar de agarrado pelos polícias". "O homem tentou agredir-me de novo. Soltou-se dos polícias, empurrando-os e, mostrando-se arrogante, disse que era militar e que não podia ser preso", relata a vítima.
Queria apresentar queixa, mas "os polícias mandaram-me calar, aconselhando-me a ir embora. Deixaram partir os agressores sem sequer pedir a identificação".
Não me apetece comentar, tal é a revolta que sinto, qualquer comentário nesta altura seria literariamente pouco recomendável!

7 comentários:

Fernando Pessoa disse...

Asqueroso!

mr. dre disse...

e andam mais preocupados em fazer guerra ao terrorismo?? que tala ideia de combatermos a falta de civismo e o desrespeito pelo proximo em 1º lugar??

Fernando Pessoa disse...

ainda por cima o homem era militar...

Presidente disse...

mais um triste exemplo chega-nos agora da nossa vizinha Espanha, continuo a não querer fazer mais comentários e ficar-me só pelo triste....

Fernando Pessoa disse...

em espanha é menos racista...podia acontecer a qualquer pessoa...embora se diga que os insultos foram racistas...enfim sem desculpa...

Luís disse...

Aconselho a leitura deste link:

http://forum.autohoje.com/showthread.php?t=42447

Se calhar vai explicar muitas coisas...

Presidente disse...

Nada justifica a reacção tipicamente racista do casal. O uso de certa linguagem no testemunho do link referido, como: "anginho preto", "uma preta sentada", "os pretos têm outros atributos", também me parecem explicar a intolerância do testemunho.