segunda-feira, 19 de novembro de 2007

capitão, ó meu capitão

[416]
.

quando vejo, ou revejo melhor dizendo, o "capitão corelli", lembro-me sempre do dia em que o nosso amigo baptista, com o seu livro debaixo do braço, e com o marcador a mais de meio do livro (que não era pequeno) e eu na minha mais pura inocência, lhe desvendei o mistério da saga, julgando que toda a gente já tinha visto o filme "o nome da rosa". efectivamente ele não tinha visto. e eu estraguei o trabalhão que o homem teve em chegar àquela fase psicológica, difícil de quebrar, em que nos decidimos a ler um calhamaço.
.
vem isto a propósito de eu preferir ler os livros e só depois apreciar a adaptação cinematográfica da obra. o caso do filme "o crime do padre amaro", é um exemplo excepcional da qualidade que se perde no processo de tranformação (embora a amélia estivesses bem servida de qualidade). já o caso d' "o nome da rosa"é exactamente o oposto, também sei que perdi uma grande leitura pelo facto de ter para mim que não se abrem excepções à regra. e não lerei nenhum livro que já tenha visto adaptado ao cinema.
.
o "capitão corelli" é um dos livros que ficarei na dúvida sobre a sua qualidade. se for tão bom como o filme então sei que perdi uma excelente obra.
.
e depois o nosso amigo baptista é a cara daquele personagem. a tocar bandolim para conquistar aquela beldade. e o filme é uma delicia.
.
será que tenho razão?

9 comentários:

O Poeta Morto disse...

nao foi só ao batista que estragaste o final do livro "o nome da rosa" se bem te lembras, eu tambem estava lá...

E o livro "O bandolim do capitão Corelli é muito melhor que o filme. Vale a pena ler.

p.s. até parece estranho eu ter lido um livro que o fernando pessoa nao tenha lido...

O Poeta Morto disse...

E quando o começares a ler, avisa, que é para eu te estragar o final.

O do livro é diferente do filme.

Fernando Pessoa disse...

ai o gajo!

olhe ele a ver se me põe coiso. assim pró coiso. assim enervado!

não vou ler. reafirmo o que disse, e é uma pena que já tenha visto o filme.

p.s. podes dizer o final do livro, já agora...

Fernando Pessoa disse...

Juro que foi sem querer. se estraguei o livro foi sem querer e já não me lembrava que te tinha estragado a ti também.

perdoem-me...por favor!

:)

Zé Baptista disse...

O que tu não te lembras é que há uns anos atrás, estavamos nós a passar férias em Esposende (no ano em que uma certa personagem andou a passear semi nú pelo parque de campismo, só de toalhinha) e eu estava a ler um livro. Acabei de o ler por lá e no fim, antes de o filme sair, eu disse que aquele livro daria um grande filme. Esse livro era o Capitão Corelli.
O filme, sendo bom, fica muito aquém do livro. Vale a pena ler. No filme a história centra-se sobretudo numa história de amor. No livro, a história constitui também um documento histórico relativamente à vida numa pequena localidade nas ilhas gregas e também um documento acerca da segunda grande guerra e dos conflitos vividos naquela região. Vale mesmo a pena.

p.s.- Foi naquela semana em que andaste a gozar com os Holandeses por causa dos penaltys defendidos contra eles pelo Toldo, lembras-te?

LDS disse...

Andar de toalhinha a passear num parque de campismo é que daria um grande filme !!!
E não é só essa situação, em parques de campismo em geral.

LDS

O Poeta Morto disse...

Isso deve ser do ambiente dos parques de campismo. Tipo uma febre que dá....

No Gerês, certa altura, uns certos individuos fizeram algo parecido na estrada de acesso ao parque. Com direito a insulto e tudo!

"Xiu!! Calou, amanha falamos"

Tudo depois de se assistir a uma magnifica interpretação da "Pomba Branca".

Fernando Pessoa disse...

eu sei que tinhas lido "capitão corelli"...não sabia que tinha sido nessa altura....mas ao certo não sei do dia que falas...terá sido no dia em que viemos todos comidos pelo bicho....depois das canecas de "champarrion"?

se foi nesse dia que um gajo ficou a ver televisão durante meia-hora em que só dava ruído, e q depois tomou banho com uma toalha roubada, então ja estou a ver...

o que me fez confusão foram os holandeses....ainda me lembro do dia em que eles invadiram a cidade de braga e passaram a noite a aturar o mesmo artista bebedo a falar com eles em neerlandês!

de resto eu ainda me lembro dos dias em que tocavamos "cuts like a knife" com o bandolim, a altas horas e a mandar as rapariguitas dormir....

:)

Fernando Pessoa disse...

esse da "pomba branca" é que leva muita água no bico... (esta frase pode parecer muit enigmática mas não tem nada de subliminar)...

a pomba branca não é a ra...
nem o bico é o boch..

bem é melhor eu estar calado se não alguém vai ter de se desenrrascar...

mas ele com o micro na mão...sim senhor...ups (não era nenhuma piada outra vez)...