sexta-feira, 9 de novembro de 2007

Matança do porco

Amanhã irei dar um passeio às deslumbrantes terras do barroso, não será um passeio pelo passeio, vou com a finalidade de assistir a uma, das muitas, tradicionais matanças de porcos, que se realizam por esta época.
Não sei, se irei apreciar, ver a matança, no verdadeiro sentido da palavra: o porco deitado de lado, o matador a empunhar a faca pontiaguda e afiada pronto para a enfiar no sítio certo. O porco ser chamuscado, depois já sem pelos ser lavado, naquele que é o seu duche final, a desmancha e o toca a encher tripas...
Mas de uma coisa tenho a certeza: como qualquer bom garfo português, irei apreciar os chouriços, as morcelas, as farinheiras e o tradicional cozido à portuguesa, regado, pois claro, com uma boa pinga da região...
P.S: não pretendi deixar aqui ninguém com água na boca...

7 comentários:

Fernando Pessoa disse...

eu só vi uma vez. é um espectáculo impressionante...

é preciso um número de pessoas considerável para segurar o bicho...

tal e qual quando um gajo vai á discoteca e aparece uma daquelas indomáveis que ninguém segura..

boa viagem e traz um chouriço!

Zé Baptista disse...

Aquilo deve ser cá uma "guinchadeira"...

Tens de perguntar ao Fernando Pessoa se a chouriça é inteira ou às rodelas.

p.s.- Era a piada possível, previsível e... inevitável.

RSM disse...

Vou lhe trazer das duas maneiras... sabe-se lá... sabe-se lá...

Zé Baptista disse...

Se eu pudesse ia a Lisboa ver a matança da porca...

p.s.- Tirem as vossas conclusões. Cada vez é mais perigoso dizer as coisas directamente. Qualquer dia andamos por aí todos barbudos a fazer música de intervenção!

RSM disse...

Pois agora é que tu me deixas-te pensativo, mas é melhor não aventar nenhuma conclusão... não vá ter que deixar crescer a barba.

Fernando Pessoa disse...

às rodelas não, porque aqui não há mealheiro...

(em tempo idos e longínquos eu dizia migalheiro...não era um mimo? )

:)

RSM disse...

Isso era no tempo, em que quando caiamos, nos "trilhavamos"...