terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Patetices da Bola

Pediram-me para falar de futebol. A mim! Que nada percebo dessa modalidade dos jogos gladiatórios dos coliseus romanos, em que um grupo de 11 escudeiros munidos com punhos fechados e botas de pitões aguçados agride outro grupo, com milhares de pessoas a assistirem e a vibrarem em cada pontapé bem dado … na cabeça do adversário.

Cheguei assistir a um desses jogos, juntamente com 2 amigos meus, o Zé e o Silva.
Constatei que o público tem uma participação que vai além da mera observação. A equipa que eles defendem ganha pontos por cada palavra feia que o público dirige ao juiz ou à equipa adversária (penso eu). Posso dizer que nesse jogo específico o público teve uma melhor performance que as equipas de escudeiros. E Infelizmente a equipa da nossa terra perdeu, porque o Silva, que ainda não tinha experiência neste jogo, chamou “pateta” ao juiz. Isso foi o suficiente para sermos expulsos do coliseu e dar a derrota à nossa equipa.
Aí percebemos que palavras abaixo de “tóninho” e “lambe côdeas” são expulsão certa.

Experimentem gritar “pateta” ao juiz.

3 comentários:

Fernando Pessoa disse...

eu tou maravilhado!

O Poeta Morto disse...

Lindo! é agora que vou ficar a perceber de futebol.

Se bem que sei que o futebol já foi mais táctico...

Companhia das Camurcinas disse...

acho que sem duvida nenhuma o homem tem queda para a coisa...

:)