segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

o maneta e a revolução

[632]

ir pró maneta, vasco pulido valente, pp. 112, aletheia (***)
.
há dias sentei-me na fnac, peguei no livro e comecei a ler. é pequeno e não vale os 17 euros. quer dizer valer, vale. eu é que não posso gastar esse dinheiro todo, em tudo o que mexa e tenha letras.
vai daí, lembrei-me de ler ali sentado no café. e fui lendo, lendo, parando para apreciar um pouco a qualidade da escrita, os pormenores hstóricos e comecei a olhar a luta contra a invasão francesa com os olhos de ver. não fazia amínima ideia de como tínhamos conseguido derrotar, expulsar e humilhar um dos melhores exércitos de sempre.


bom, a bem da verdade, o que toda a gente fica a pensar é, quem será o maneta. ora bem. o maneta era um dos generais comandados de Junot (o comandante), chamava-se louis henri loison. e a certa altura foi um dos mais bárbaros, devido às constantes baixas do exército francês.

graças a uma inesperada resistência do povo português, que, mais a norte, consegui ir expulsando o exército para lisboa ( onde foi cercado e se rendeu mais tarde) com uma guerrilha muito organizada pelas aldeias, e mesmo sem grandes armas, os focos eram dispersos o que confundiu a tropa francesa.

para finalizar, 3 estrelas para o livro de vasco pulido valente.

17 comentários:

Teté disse...

Esse também já está na estante, em lista de espera...

Fernando Pessoa disse...

:)

vale bem a pena. não é pesado, nem chato (era a minha primeira ideia).

ficamos com uma ideia completamente diferente daquilo que julgavamos ter sido a revolução francesa. eu pelo menos não tinha ideia da grandeza da guerra e de como foi sendo ganha por nós.

nina disse...

já li vasco pulido valente, chamava-se Glória e era uma história comtemporanêa a da camilo castelo branco..acho que o objectivo era demostrar que não só dos fortes reza a história, mas tb é feita pelos mais fracos, aqueles que não conheçemos....
esse tb deve ser interessante mostrando a faceta vitoriosa de portugal...

é nina e não nena..

Fernando Pessoa disse...

mostrando a faceta do portugal vencedor. mas daqueles que morreram por uma guerra quase nunca apoiada pelas elites.

foi o povo na luta diária, numa guerrilha constante aos franceses, que venceu esta guerra.

eu sei que é nina, peço desculpa se ofendi, eu não gosto de comparar pessoas, era uma piada...

obrigado pela sugestão...

nina disse...

de nada, não me ofendeu..deve ser uma private joke..tou fora.

não é nesta guerra que depois de tanta luta do povo português, os ingleses vieram ajudar e tomaram a liderança do país, por conta da familia real se ter pisgado para o brasil?

Fernando Pessoa disse...

bom, a nena é a miúda dos azeitonas, tava escrito num post anterior, não era nada de privado...

adiante,
eu não gosto muito de escrever o que está nos livros. escrevo o que me dá na gana, o que me apetece e pronto. não faço discrições pormenorizadas. eu aconselho a quem quiser.

contudo, se alguém gostar de pormenores eu deixo sem problemas (até para provar que o li :)

a família real vai efectivamente para o brasil, deixando os comandos do país nas mãos de junot. assim, toda a elite (como refiro) está do lado dos franceses para salvar a pele. o livro descreve como espontâneamente o povo começou a sublevar-se, contra os franceses e contra aqueles senhores que estavam do lado dos franceses. o passa a palavra, permite que se vão criando guerrilhas pelas terras, e mais a partir do porto, e do norte, há uma organização miliciana que vai empurrando os franceses. depois é enviado o maneta que começa uma chacina pelas terras onde passa, mas a resistência continua polvilhada aqui e ali com uma luta que se pode equiparar à actual guerrilha urbana.

e pronto. só depois de começarem a ser definitavamente empurrados para lisboa e sem saída o junot negoceia com os ingleses a rendição (logo ali os ingleses não olharam aos interesses portugueses) e deixaram os franceses sair com os saques que foram fazendo.

ufa! chega?

O Poeta Morto disse...

Para tirar todas as duvidas, a nena é a segunda coisa mais linda a face da terra. uma verdadeira bonequinha. Esclarecida nina?

p.s. ela no sábado quase que me via, mas falhou. teve de estudar disserem eles. ia ser o dia mais feliz da vida dela...

nina disse...

tb podia fazer parte de alguma banda, que meta azeite no nome, safo-me bem a cantar :-)

não era preciso tanta explicação, nem estava á espera que provasses nada, só me lembrei do seguimento dos acontecimentos e achei pertinente perguntar... obrigada fiquei super esclarecida..até fiquei um pouco atarantada!

O Poeta Morto disse...

boa resposta com uma referencia a uma das musicas.... Acho que foi de propósito

Fernando Pessoa disse...

até gostei de dar a explicação.
não custa nada e incentiva a leitura.

Anónimo disse...

ao ler estes comentários todos fiquei apenas com uma duvida: se a nena é a segunda coisa mais linda à face da terra,qual é a primeira?

Fernando Pessoa disse...

ui ui ui

desenrrasca-te amigo...tu é que falaste...

O Poeta Morto disse...

talvez alguém dos anónimos...

Anónimo disse...

"talvez um dos anónimos.."!
a pergunta que deu origem a esta resposta aguçou a curiosidade de todos os anomimos que frequentam este blog.. por isso, no meu entendimento, nao responde à questão.

por outro lado.. o facto do pano nao ter sido todo levantado, conduz a esta situação de curiosidade, de misterio proporcionando conversas neste mundo bloguista!por isso.. Boa resposta!

Fernando Pessoa disse...

eu só, tipo vá lá, não percebo nada...

El Salib disse...

A coisa mais bonita deste blog sou eu! É que nem há dúvidas.
Se eu não gostar de mim, quem gostará?

Fernando Pessoa disse...

todos conhecemos a mania deste gajo em se armar em campeão da lista da distribuição da beleza...

(és muito bonito quando elas estão com os copos :)