sábado, 9 de fevereiro de 2008

mais uma vez

[696]

"[...] quando clarice se levantou, se vestiu, pegou na carteira e foi-se embora, sem olhar para trás, para txeki, que quereria ter-lhe pedido um número, uma morada, uma forma de contacto, mas ela não lhe teria dito nada. nem um beijo de despedida. nada. apanhou o comboio ao início da noite e seguiu para paris. [...]"
gustavo sampaio [escrita casual]
.
acho que só hoje aterrei. andei lá nas núvens, ou melhor andei de comboio lá no ar, e o meu resto só chegou hoje.
.
de volta ao trabalho, de volta ao romance de paul auster, de volta ao meu conto "a espera do epílogo", de volta com uma nova blog novela "o advento de jeremias juan romero" e de volta aos pés na terra, mesmo que se tenha estado bem com eles na água.
.
lembram-se do dornas? disse ele a certa altura, "mesmo que o amor vingue a espaços, nada é eterno". de facto "we have all been there too". bom fim-de-semana.

4 comentários:

Fernando Pessoa disse...

mais uma vez caro gustavo, paciência. quem sabe escrever...

Anónimo disse...

http://mtvbrandnew.weblog.com.pt/arquivo/2007/12/david_fonseca_kiss_me_oh_kiss

Fernando Pessoa disse...

grande música, obrigado...

Anónimo disse...

a titulo de curiosidade.. fui spreitar o endereço e sem duvida grande musica :)