quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

nos deambulares da serra [4/5]

[768]
.
não vês a serra?
é um poema escrito em crescendo, arrasador, de força destrutiva, com o topo magestoso, um amparo a quem a sobe, é saber que nunca chegará lá cima de vez. é como a vida a caminhar num sentido circular. e o que poema nos traz de novo é a tonteria que nos carrega aos consfins do nosso sentido primordial. quantas vezes te arrepias ao ver uma montanha destas? a enormidade do poema é igual, deves temer a sua força. deves ter como perigosos os tentáculos de um poema, dos que estão escritos pelas penas mais sensíveis.
.
não vês a serra? escuta as aves que te trazem o seu som, o som que vem do peito deste monte milenar, deste emaranhado pedregoso que nasceu num dia de rebeldia dos deuses. eles em cocílio decidem que tu deves em algum século assistir à sua grandeza, e com esta imagem perceberes que não somos donos do nosso destino. eles sim estão agora a escolher o que serei eu daqui em diante. se a tua mão não fosse a prova de que eles conspiram, então eu não sou mais crente. e entrego-me na justiça do dia-a-dia dos homens. destes homens que vivem do frio que a serra sopra nestas manhãs.
.
não vês a serra?
.
e enquanto eu escrevo as minhas linhas de inspiração, vens de cara ainda deslavada, e eu embrenhado nos meus pensamentos, procurando uma explicação divina para os meus sentimentos, nem te sinto. só ao toque das tuas mãos nos meus olhos quentes do sol, e na testa de rugas vincadas pelo esforço, caio de novo da porta do concilio em direcção a esta terra, de homens que trabalham e vivem de terra e água, e que trabalham de frio a pavio.
.
e dizes-me solene e imponente,
.
não vês a serra?

4 comentários:

Teté disse...

Amanhã já vamos ver a serra... acho?!

Anónimo disse...

Guess what?

Quem te terá ensinado a ver com olhos de poesia?

Fernando Pessoa disse...

nada nasce do nada, tudo existe e apenas e só precisas da oportunidade. se ela existe então podes despoletar em ti turbilhões de inspiração.

guess what, o gato morreu de curiosidade...coitado.

Anónimo disse...

:)Guess who?

ou nem tanto...