sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

nos deambulares da serra [5/5]

[770]
.
a noite tem a sua beleza. também tem o chilro de pássaro manso. tem o canto melodioso de pásssaro só. e triste. depois de montada a tenda de campismo, selvagem como a vontade que me invadiu desde o banho de ontem no rio, acendemos uma fogueira pequena, com três ou quatro pedras de resguardo ao fogo. agasalhas-te com uma camisola azul bébé, que te assenta no corpo de uma forma divina, e sendo feita de lã, dá-te ainda um ar campestre. o teu cabelo preso e sorriso solto ao que prevê a noite. e trazes o meu casaco que pousas nas minhas costas, e apontando para a lua admites que não sabias o sabor agreste desta lua.
.
a noite é um emaranhado de sons, ruídos, cantos estranhos, bolotas que caem no chão, ramos que se desprendem das àrvores, e jurava que o esquilo do primeiro dia também anda aí na escuridão.. pousas dois beijos na minha boca, de olhar calmo e simpático, e procuras as minhas sensações sobre estes dias. e eu admito sempre o mesmo. a tua vontade é a minha vontade, e a tua realização é o meu objectivo. e ris ao mesmo tempo que me pedes que eu deixe pensar que estou numa reunião de negócios.
.
entre o saco-cama e a tua mão, e entre um abraço quente que me emprestas, dizes que queres ir devagar. conhecer-me aos pouco como a esta serra. e ambos os sorrisos provam essa lei. ambos dormimos sobre a tua vontade. na manhã seguinte, rejuvesnecida, descansada de cansaços intensos destes dias da serra, és ainda mais autêntica.

.

(posso gostar de ti mais do que na noite anterior?)
(podes sim)
.
e antes de sairmos, agarras-me um braço com a força e a vontade de quem pergunta,
.
queres fazer amor comigo?
.
21/02/2008 - 17:13

11 comentários:

O Poeta Morto disse...

"...e a tua realização é o meu objectivo,..."

Gostei! é para isto que todos vivemos.

Fernando Pessoa disse...

sabes quem escreveu,

"quando olhas para mim,
não é a mim que vês,
é a ti própria,
realizada,
completa..."

sabes?

O Poeta Morto disse...

quem, quem??

Fernando Pessoa disse...

por acaso fui eu...

pensavas que era o outro não?

El Salib disse...

Pensei mesmo que tinha sido o outro!

O Poeta Morto disse...

é muito bom para ser do outro

Anónimo disse...

O bucólico...
A pureza...
A sensibilidade...
A beleza...
Fantasias de um passeio de verão...

Falta realizar ou não?

Fernando Pessoa disse...

suponho que de certa forma é uma ideia apenas, uma visão. o que posso dizer é que, depois de ter realizado tantos desejos na minha vida, continuo a achar que ficaram por realizar muitos mais.

emboa a escrita não resolva nada.

e os anónimos andam curiosos :)

Anónimo disse...

Acho que só tens que acreditar nisso, e a escrita serve pelo menos para concretizar ideias, agora só as falta transpor para a vida.

tonsdeazul disse...

Surpreendente estes "deambulares da serra"!!
Gostei deste sabor a nostalgia, a sensibilidade e leveza. Dos gestos simples e da naturalidade das palavras. Bonita história, com um grande final!

Teté disse...

Muito bom, mesmo! Bem me parecia que o clima era de romance... ;)