terça-feira, 1 de abril de 2008

eu que não percebo nada dos jogos de azar

[846]

quem é que no seu perfeito juízo, e depois de fazer linha, abandona a sala sem saber se tem direito a bingo?

6 comentários:

Teté disse...

Deixa-me adivinhar! ahn... hummm... foste tu???

Mas se não percebes nada de jogos de azar, porque é que foste jogar bingo??? ;)

Fernando Pessoa disse...

:)

eu até tenho jeito p'ra jogos de cartas. mas às vezes é melhor não perder. ou não jogar para não perder.

caminhoparavida disse...

por exemplo: quem não precisa de muito para ser feliz.. Quem quer guardar na memória a vitória.. ou simplesmente, quem tem medo de arriscar..


Caminhando se faz o caminho e arriscando se chega ao trilho seguinte..

Fernando Pessoa disse...

os jogos de palavras que deixo aqui dão um enorme prazer, se as pessoas acharem que pode servir para reflectir. e vejo que sim. alguns pensamentos são mesmo agradáveis.

e a verdade é que nunca me resigno, mesmo sendo um dos que não precisa de muito para ser feliz :)

O Poeta Morto disse...

basta uma "monte das anforas", um panado e dois dedos de conversa.

não precisamos de mais.

Fernando Pessoa disse...

nem mais! :)

ou monte das ânforas, ou monte das servas (a nova coqueluche dos vinhos alentejanos)

:)