quarta-feira, 18 de junho de 2008

Rock in Rio - Metallica




Para quem não me conhece, eu sou (já fui mais) um fã dos Metallica. No ano passado tive oportunidade ir os ver no SBSR mas mesmo no último momento apareceu um contratempo que me impediu de os ver.
Este ano, mais uma vez os 4 cavaleiros passaram por Portugal. E este ano, não podia, de maneira alguma perder o concerto. Mesmo que isso significasse ir sozinho.

Assim sendo, calçei as minha Doc Martens e vesti-me de preto, metafóricamente falando, e impregnei-me no espírito Metallica. Lá fui eu para a capital, chego às portas do recinto do RiR e começo a ouvir (ainda na parte de fora) músicas do Metallica tocadas pelos Apocalyptica e cantadas pelo público que estava a assistir, começo a sentir os primeiros arrepios na espinha. (Pensei imediatamente que era falta de alcool e fui beber 3 Super Bocks (para mostrar que estava ali um homem do norte) enquanto comia o meu jantar (uma bifana no pão que a comida em Lisboa é cara)).

Entrei no recinto. Tenho sede e não tenho dinheiro - a fila do multibanco dentro do recinto até metia medo, e não era pelas pessoas que lá estavam. Lá teve de ser, e o que tem de ser tem muita força, cerca de 20 minutos na fila do multibanco, até foi melhor do que o que eu pensava!

Como já cheguei atrasado não tive tempo de ver nada dos stands e fui directo para o palco que eu estava ali era pela música (antes passei pelas cervejas que estava mesmo com muita sede e apesar de estar ali pela música não queria morrer desidratado).

Machine Head - Arranjei um sitio jeitoso para ver os concertos e começo a curtir o som. Eu até já fui mais metaleiro do que o que sou mas Machine Head já é demasiado pesado para os meus ouvidos com 14 anos de idade/cada. Acabouo concerto, até nem foi mau mas desde a segunda música dos Machine Head que eu já só estava à espera dos Metallica.

No intervalo entre os concertos e à medida que a espectativa aumentava, eu só pensava em duas coisas; 1ª Este sitio até nem é mau mas eu tenho de arranjar um espectacular. 2ª Eu estou mesmo cheio de sede.
Enquanto andava à procura do 1º encontrei o 2º - Stand do Licor Beirão - Aproximo-me do balcão, bato com força com a mão no balcão e pergunto "O que é que se bebe aqui?"... A rapariga ao balcão olhou para mim com cara de "Este gajo está estúpido, diz Licor Beirão em todo o lado! " e responde baixinho "Licor Beirão?". Resignei-me por ela não ter percebido a piada e ripostei confiante "É um sff. (Estúpida), a parte do estúpida não disse, mas pensei." Adiante.

Com o licor beirão na mão encontrei um sitio espectacular para ver o concerto. Instalei-me à vontade, ninguém nunca raio de 4 metros (num festival parece milagre).
Começam as primeiras ameaças. O público começa a pedir Metallica. O sangue começa a fervilhar...

Está na hora!

Ouve-se a guitarra do kirk... e com ela vêm as primeiras explosões (concerto dos Metallica não é concerto sem explosões), sinto um arrepio na espinha... e começo a cantar com o resto do público. As palavras para descrever o concerto não iriam concerteza fazer justiça ao que o concerto foi, mas foram duas horas espectaculares. Por incrível que pareça, Metallica é melhor ao vivo, muitos anos de experiência dão nisto.
No final do concerto e quase sem voz penso, isto de vir ver um concerto dos Metallica sozinho até foi altamente. Se tivesse companhia ia partilhar a experiencia, mas sozinho a vivência foi mais intensa.

Para quem quis ir e não conseguiu, só tenho a dizer há-de haver outra oportunidade e se calhar mais cedo do que o que pensamos.

9 comentários:

Onun Ras Al Gull disse...

Eu acho que te vi na televisão Salib, eras o gaijo baixinho, vestido de preto(metaforicamente falando, claro!)

Agora a sério, eu vi o concerto na televisão e os matallica pareceram estar ao nível dos albúns ( o que é sempre um elogio)

P.S.-os Metallica começam todos os concertos com uma música do Enio Morricone (não confundir com o Maricone, porque esse tem um nome que rima com "...oão Jorge")do filme "O bom, o Mau e o vilão". Na minha condição de cinéfilo achei que devia dizer isto!

P.S.-2- Ainda me lembro daquele gaijo que me desviou dos maus caminhos do Brit Pop para me encetar pelos santos caminhos do Heavy Metal, ali à home! P.S. 3- Sim, P.S. 3 porque eu sou um excêntrico! Em Agosto há churrasco na casa do Mansus, vai ser para partir tudo! Tipo Redi Boy.

Aquele abraço!
Onun Ras All Gull

Fernando Pessoa disse...

o kirk não é o gajo do submarino?

:)

onun,

eu queria era ir a esse churrasco...

Anónimo disse...

Isto de vir para o blog gabar-se que foi ver metallica mete nojo, principalmente aqueles que gostavam de ir e não foram…

Mas pelo que percebi pela tua discrição do dia estavas mesmo com muita sedinha…

O concerto não foi em pleno Agosto para os lados de Marrocos, com uns 50 graus a sombra. Tens sempre tanta sede?

Deves ser daqueles que vai para a praia apanhar sol e sais de lá bêbedo, não, bêbedo não, só tinhas sede e não queres desidratar…

Tira-me só uma pequena dúvida, o beirão que a gaja te serviu vinha com a sombrinha??

Abraço

Sempre atento

El Salib disse...

Fernando,

Tens de meter o requerimento 223/06 para te candidatares à presença em tão afamado churrasco.

Sempre atento,

Tu não estás sempre atento, tu estás é com os olhos demasiado abertos!

Querias ter ido? E porque é que não foste? Estavas a trabalhar?

Filipe disse...

el salib,

Ao contrario de muitos frequentadores deste blog eu trabalho bastante e não tenho hipotese de me ausentar da empresa onde trabalho, caso contrário a empresa fechava as portas...

Anónimo disse...

Mas quem caralho é o filipe?

Fernando Pessoa disse...

é um ressabiado qualquer...

El Salib disse...

AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

Quem caralho é o Filipe?

Zé Baptista disse...

Gostei do post. Vê-lá se te entusiasmas e começas a escrever mais. E não venhas com a história do trabalho...

Não viste por lá o Vascuni a chorar? Acho que isso lhe dá nos concertos dos Metallica.