quinta-feira, 17 de julho de 2008

um zaratustra wild

[1126]

ainda não me convenceram de que aquele maluco, em busca da comunhão com a natureza, num ascetismo nietzschiano, é que está mal. tem de haver um equilibrio entre a luta interior por uma sociedade menos consumista, e o convivio são nessa mesma organização.
.
contudo, há no filme into the wild, a sensação de que a força e a vontade comandam a vida. a morte é que era escusada, no meio de tanta beleza pura.

3 comentários:

O Poeta Morto disse...

algo me diz que estragaste o final do filme a muito boa gente...

Anónimo disse...

Também tenho amigos assim. Já me estragaram o final de filmes como "Titanic" ou "A Paixão de Cristo".

Eu não precisava de saber que o barco se afundava ou que Cristo era crucifixado.

O Poeta Morto disse...

tens de ver o paixao de cristo 2 - o regresso. é fixe, mas n te vou estragar o filme