domingo, 5 de outubro de 2008

ao domingo talvez se possa mostrar

[1255]

sim, não sei se algum dia serei capaz de te explicar onde está o amor. talvez aqui. ou então olha bem a palma da tua mão.

3 comentários:

Teté disse...

Muito bom, esse poema... :)

S. disse...

e o que ia mudar se soubéssemos onde ele está?...provavelmente, nada...

Fernando Pessoa disse...

tanto negativismo porquê? eu ainda acredito num amor verdadeiro, simples e dedicado...aquele amor que parece só existir nas palavras...tudo é resultado da tua vontade e crença, mesmo que não possas saber o que vai na cabeça da outra pessoa...

mas se eu encontrasse o amor neste momento, saberia incorporar as suas melhores facetas na minha vida...embora o grande amor só exista com as devidas provas de que resiste às adversidades (não podemos ser ingénuos e não aprender com o que já vivemos)

desejo as melhoras a esse pragmatismo...