segunda-feira, 24 de novembro de 2008

auto-objurgação [9]

[1364]

no campo da batalha que se torna o amor, o discurso feminino assume traços estratégicos pouco decifráveis. é uma espécie de semiótica feminina. há sinais evidentes que nos mostram a necessidade de conhecer por dentro a arte de guerra. há nelas um certo discurso encriptado (por necessidade táctica de defesa).
.
a desconstrução do enigma passa pelo domínio da hermenêutica da suspeita. é que se a felicidade está a um pequeno passo, a desgraça está a uma distância ainda menor.

4 comentários:

butterfly disse...

muito bem observado! mas olhem que vocês estão cada vez mais parecidos connosco! ou melhor, igualmente difíceis de entender...

S. G. ex - Fernando Pessoa disse...

bons olhos a vejam :-)

admito que sim. não se pode generalizar embora ao escrever estes aforismos se corra esse risco. o que era de admirar era que alguma mulher se atrevesse a tentar explicar estas técnicas. enfim, se calhar nem elas conseguem, não é?

volta sempre e não deixem morrer o vosso grande blog.

butterfly disse...

:) em 1º, obrigada pelo elogio ao nosso blog!

em 2º, não posso falar por todas as mulheres, principalmente porque discordo frequentemente das que conheço. agora, o que posso afirmar é que uma mulher aceita muita coisa se tiver a certeza de ser amada, e aceita muito pouco se não a tiver.

normalmente, se é que se pode falar assim, uma mulher age, ou reage, no sentido de obter uma destas 2 certezas...

mas esta é apenas uma de inúmeras explicações possíveis, suponho...

S. G. ex - Fernando Pessoa disse...

vocês sabem que nós somos leitores assíduos :-)

há obviamente variáveis que podem mudar essa tua perspectiva. se um homem mostra que gosta de uma mulher e ela desconfia porque a esmola pode parecer grande? ou porque foi enganada de alguma forma e não acredita?

era uma vida inteira para aprendermos e só depois pormos em prática, mas mesmo assim acho que não chegaria :)