terça-feira, 11 de novembro de 2008

Viagens de Fim de Semana

No Sábado MANIF. Foi cansativo mas valeu a pena ter participado na maior manifestação de professores de sempre. A ver vamos como se desenvolve o resto da história.

Mas, não era disto que eu vos queria falar. Quero falar-vos de um paraíso que descobri no Domingo, pelo menos nesta altura do ano é um paraíso. No Verão é capaz de se transformar num inferno de filas intermináveis e praias onde é preciso andar ao murro para estender a toalha longe dos putos que jogam à bola. Fiz a estrada de Setúbal até Sesimbra e fiquei maravilhado. O Parque Natural da Serra da Arrábida merece uma expedição camurcina. Penhascos, muito verde, pequenas praias que aqui e ali vão surgindo lá em baixo entre os penedos, águas azuis, placas com promessas de bar e restaurante junto à areia das mesmas praias, tudo isto num dia em que, apesar de Novembro, deu para andar de t-shirt. Cheirou a Verão.

Entretanto estamos em Sesimbra, depois de resolvida a possibilidade de ficar sem gasóleo no meio da serra, a reserva parece que é grande, a de gasóleo, a natural atravessou-se em menos de uma hora, lá está o mar à nossa frente e em frente ao mar estamos nós e a baía polvilhada de casas. Aqui, no que às habitações diz respeito, há um pouco de tudo, do bom e do mau, do ordenado e do desordenado. Ainda assim senti-me bem naquele caos, cais do Atlântico, onde até havia gente a tomar banhos de sol. Com o pé quase na areia, os cheiros marinhos convidadavam ao almoço. O peixinho grelhado, simplesmente com sal e uma saladinha, meus amigos... qualidade de vida e de vista com o mar ali ao lado.

Passear, tirar fotos, visitar a feira dos produtos regionais onde só comi com os olhos, ainda era cedo para o lanche, foram algumas das actividades até ao fim da tarde lá em cima no castelo, de onde Sesimbra parecia um postal.

No centro de Sesimbra, muita gente nas ruas e a promessa de noites animadas, pelo menos a avaliar pela quantidade de bares, tasquinhas e restaurantes, quase todas exibindo orgulhosamente a placa onde se lê "Cozinha a Carvão". O verdadeiro império dos grelhados em terra de muito peixe deixa antever grandes jantaradas à beira mar, não muito longe de terra de bons vinhos.

Há muito mais para dizer e descrever mas vamos devagar. Vou ver se publico umas fotos nuns posts seguintes, é que fotos do Tunning Bar onde há um mural com um Honda Civic não é todos os dias. Mais logo se net houver.

2 comentários:

S. G. ex - Fernando Pessoa disse...

cá está um post à camurcina :-) prosa, poesia, tunings, tascas, natureza, praia, passeio, manif...e tudo o que faz de nós uma espécie em vias de extinção. porquê? pela qualidade que escasseia.

abraço alentejano

O Poeta Morto disse...

quando vamos invadir isso? tropas camurcianas ao ataque do alentejo!