segunda-feira, 15 de outubro de 2007

luz acesa

[287]

a luz acesa tem destas coisas, faz-nos ver com mais claridade o que na escuridão já de si brilha. eu por muito que queira saber o que realmente penso, sinto que só algumas palavras podem desvendar os mistérios mais simples da vida.

e a luz acesa sabe demasiadas vezes.

"[...] Ele fazia comparações entre as mulheres, e com o melhor de cada uma delas arranjava uma única que não havia meio de encontrar. Mas quase de repente aquelas ruas apinhadas de gente esvaziaram-se como no fim de um espectáculo, e o Antunes perdeu-as a todas. Ficava apenas com a que não encontrava. [...]"

«Nome de Guerra»José de Almada Negreiros

p.s. gosto de leituras despretensiosas. simples e directas com rendilhados suaves e suficientes para nos fazer sorrir de soslaio.

2 comentários:

A. disse...

Este livro continua a ser uma descoberta. Regresso muitas vezes ao Antunes e à Judite. :) Ao seu (des)amor. Sim, é verdade: gosto de viver em palavras. :)

Fernando Pessoa disse...

não li mas está na minha lista, porque pela amostra a descoberta deverá ser ainda mais compensadora :)