sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

eu espero em praça que te traga

[756]

a praça está fria. gelou os meus braços e tenho de entrar. a esplanada deixou de estar agradável. deixaram de pousar os pássaros desde que o vento levantou mais forte. as folhas rodopiam no ar, e eu vejo pequenos tornados, que revolvem as folhas que jazem no chão. eu sei que tu também foste isso mesmo, um tornado que remexeu com o meu peito, com as folhas do meu outono interior em que eu descansava à espera do inverno e da primavera.
.
dentro do café está mais quente, mais acolhedor. há tectos altos e ornamentados com fitas vermelhas penduradas entre as paredes, com um floreado de cal ao centro, donde nasce um candelabro tão pequeno e singelo que dá vontade de olhar e não desligar o pescoço dessa corrente de paz. eu entro pelos filamentos, deixo-me estar dentro daquela campânula que reluz, e mostra o caminho a todos, menos aos cegos e aos que não querem ver.
.
e eu sou só isto, ou só observação, desde o dia em que entraste no comboio para madrid, e três dias depois barcelona, mais cinco e paris, berlim, praga. que cidade te acolheu nos braços que nem eu te posso sentir mais. roubo uma tulipa todos os dias que saio de casa, no quintal do teu vizinho para te dar, e todos os dias a levo de volta. eu sou isto desde que foste nesse comboio. nessa viagem. e eu espero há cinco semanas aqui. não consigo desvendar caminho que me endireite o tormento e me leve em paz ao destino.
.
será que aquela que me olha ao canto do café és tu?
.

5 comentários:

Fernando Pessoa disse...

foi o poeta morto que me ensinou a esboçar desenhos foleiros

:)

reclamações é com ele :)

O Poeta Morto disse...

és um artista do c*r*lho*...

mas está fixe! palmas para o mestre e o pupilo

Anónimo disse...

E qual deles és? O cego, ou o que não quer ver?
Será que sou eu que te olho ao canto do café? O observador és tu, e eu sou quem tu quiseres...

Fernando Pessoa disse...

estes anónimos são mesmo enigmáticos

:)

eu sou cego de olhos que vêem alguma coisa positiva onde não há.

e eu observo sempre. e digo-vos que se pudesse fazer o que a minha cabeça admite como fácil, e como sendo a única solução para ser feliz, então não me faltariam opções. eu sou a pessoa mais simples de agradar. contento-me e fico agradado com pouco. aliás é sempre esse pouco que me cativa.

e não preciso que as pessoas sejam o que eu quero. preciso de alguém que na sua tenacidade possa aceder a caminhar lado a lado comigo. só.

Anónimo disse...

Normalmente são as mulheres que exigem que vocês encaixem no perfil, faz parte da sua natureza humana e da estrutura dos cérebros que é diferente. Vocês mais objectivos, trabalham com uma parte do cérebro de cada vez, elas trabalham com todo ele, fazem ligações que nem sonhas. Portanto, terás que ser mais vezes tu a satisfazê-las, meu caro. Outra coisa, por muito emancipadas que elas sejam, agrada-lhes sempre homens com iniciativa. Não te esqueças de levar o teu romantismo e humor.