sexta-feira, 21 de março de 2008

peito [10]

[827]

a noite já não volta
.
ofegante de cavar um buraco,
nesta terra dura e seca,
lembrei-me dos sonhos que enterrei.
cavando, olhei em volta
buscando um espaço que já não encontrei,
mesmo debaixo do sol abrasador.
.
a noite já não volta
.
e cavei, ardendo de calor,
um buraco que pensei chegar,
mesmo na hora de enterrar o peito,
para desaparecer o desassossego.
.
mas a noite,
essa noite
já não volta.
.
e mesmo escurecendo, buraco aberto
no chão e no peito, a noite
de prateados recortes em pontos,
será testemunha do fim, porque

a noite,
aquela noite
já não volta.
.
dia mundial da poesia
.
e porque sim, comemoremos então as palavras. da forma que elas menos se entediem. o dia mundial das palavras curtas e sinceras, palavras encavalitadas em espaços carregados de simplicidade. palavras que não quiseram ser prosa. palavras poéticas vindas do peito. palavras.
.
poemas especias,
.
poemas que não devemos esquecer,

3 comentários:

Fernando Pessoa disse...

ainda que muita gente se esqueça que há coisas boas, muito boas, como a poesia, nós relembramos.

S. disse...

Não volta a noite mas, voltando as palavras, que nos escorreguem dos dedos muitos dias de poesia.

Fernando Pessoa disse...

:)

poesia e primavera com tudo a que temos direito.