terça-feira, 6 de maio de 2008

coisa muita para quem sabe disto

[954]

via [ponto gi]
.
ainda me lembro de comprar o independente só para ler as crónicas dele. e já lá vão quase 15 anos. parece sempre coisa pouca. desde o livro, o amor é fodido, que me prometi ler o homem. espero em breve cumprir a promessa.
.
"[...] Num momento, num olhar, o coração apanha-se para sempre. Ama-se alguém. Por muito longe, por muito difícil, por muito desesperadamente. O coração guarda o que se nos escapa das mãos. E durante o dia e durante a vida, quando não esta lá quem se ama, não é ela que nos acompanha - é o nosso amor, o amor que se lhe tem. Não é para perceber. É sinal de amor puro não se perceber, amar e não se ter, querer e não guardar a esperança, doer sem ficar magoado, viver sozinho, triste, mas mais acompanhado de quem vive feliz. Não se pode ceder. Não se pode resistir. A vida é uma coisa, o amor é outra. A vida dura a vida inteira, o amor não. Só um mundo de amor pode durar a vida inteira.[...]"

miguel esteves cardoso,
elogio ao amor

3 comentários:

PontoGi disse...

Desde o "Amor é Fodido" sou suspeita brilhante.

PontoGi disse...

errata
sou suspeita.
Brilhante!

Fernando Pessoa disse...

roubei descaradamente por ser brilhante :)