quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

pirómanos

[1494]

se a metáfora do amor é o fogo,
o rescaldo e a circunscrição são os trabalhos mais difíceis.
.

10 comentários:

Ravelli disse...

O mais facil mesmo é ateá-lo.

cump.

Lizard King disse...

depende do fogo e das proporções que tomou...se for ainda o inicio...qualquer pano o abafa e fica apenas o chamuscado a lembrar que existiu...se foi de grandes proporções e ocupou um distrito inteiro circunscrever não será fácil...mas também não é impossivél e às vezes é preciso ser humilde e reconhecer a necessidade de ajuda externa...mas consegue-se extinguir e o rescaldo leva o seu tempo...mas mais cedo do que se espera começa a brotar vegetação rasteira...a partida está dada.

Anónimo disse...

Se a metáfora do amor é o fogo,
então abaixo os bombeiros, a água e os extintores.
Se porventura o fogo apagar e for necessário rescaldo,
então que seja com amigos e boa disposição.
No que diz respeito à circunscrição,
que seja feita com combustível para alimentar a chama.

No final das contas, os verdadeiros amigos são os pirómanos, os verdadeiros espalha brasas.

PKB disse...

Mas não é para estar sempre a arder?...

S. G. ex - Fernando Pessoa disse...

eu por mim deixava-o arder sempre. não há fumo nem destruição mais calma que o desse fogo, a devastação é saborosa. como diria camões "é um contentamento decontente, é um cuidar que ganha em se perder, é servir quem vencce o vencedor".

mas no fundo não percebo nada disto...

Anónimo disse...

mesmo sem bombeiros, agua ou extintores, um dia o fogo acaba por apagar.

Anónimo disse...

que não seja o vizinho a apagar...

Gajo da Banda Filarmónica dos Bombeiros disse...

Se for a vizinha boa a gente não se importa. Desde que nos deixe ir lá para o meio!

K disse...

Epá!! Mas é que é mesmo!! (quando acontece o amor ter que acabar...)

S. G. ex - Fernando Pessoa disse...

olá menina k,

bons olhos a vejam :) é assim mesmo. andamos metade da vida a amar, e a outra metade a querer amar. raio do romantismo :)