segunda-feira, 12 de novembro de 2007

noite de fogo

[392]
.

a expressão suprema da visão profética de cada um, há-de surgir quando menos esperamos, sempre em sonhos, seja a dormir ou para alguns, será acordado. a chamada sensação desigual de forças entre o nosso desejo e o que nos reserva o futuro leva a que por vezes necesitemos de um conforto. nem que seja imaginado.
.
será a "nuit de feu".
.
blaise pascal, matemático e filósofo francês, mundialmente conhecido pela frase "o coração tem razões que a própria razão desconhece", teve a sua "nuit de feu" que lhe transformou a vida. para ele a noite foi de conversão porque dizia ter visto deus. a cada um poderá acontecer ver o deus das coisas mais simples. o que para mim era importante, era ver o comandante do destino. fosse ele deus (um sábio velho de barbas brancas e compridas) ou uma mão com rugas sobre a tecla que diga "fim".
.
isso seria uma noite perfeita. de outro fogo.
.
e tenham a certeza que acontecerá a cada um de nós. mais dia menos dia. mais sonho, menos sonho. mais fogo, menos fogo.

2 comentários:

A. disse...

o fim de cada um - única certeza de que dispomos.

obrigada pelas palavras que deixaste no luz acesa. :) procurei um e-mail, não encontrei - fica aqui o meu agradecimento, por me leres, por gostares do que escrevo. :) espanto-me que sejam as minhas palavras causadoras das tuas e fico envergonhada, ao mesmo tempo vaidosa.*

Fernando Pessoa disse...

cara a.

(a. de:

ana;
andreia;
alda;
alice;
ângela )

os teus textos são uma lufada de ar fresco. eles conseguem despoletar as palavras que estão pousadas na espuma dos meus dias. pousados na linha onde o mar dá a mão à areia e as algas servem de laços perenes.

por esses textos conseguirem ir tão fundo é que eu digo que ás vezes me sinto ofegar, sem saír do lugar.

(bem os nomes podem não ser muito bem escolhidos mas pelo menos são bonitos)

:)