terça-feira, 9 de dezembro de 2008

(re) citações

[1389]

" [...] Acho que há por aí muita gente incapaz de dizer adeus ao que realmente precisa dizer adeus. Passam a vida numa espécie de “até logo”, deixando sempre uma porta entreaberta para o que for preciso. São os mal resolvidos e resolvidas da vida. Uma porta entreaberta deixa entrar frio. Faz corrente de ar. Deixa entrar ladrões, pó, bichos, lixo. E raramente se abre para o que esperávamos. Portas entreabertas não me servem. Estou farta de as ir espreitar. Nunca serviram. Nunca.
Que se fechem as portas mal fechadas. Que se acabe com a corrente de ar. Que possa eu finalmente passar os meus dias descansada sem as ir espreitar de 5 em 5 minutos. [...] "
.

16 comentários:

Cristina disse...

WOW... reconheço-me por completo!! Já comecei a resolver todo o meu passado, para não me sentir ameaçada no meu presente (e futuro)!

S. G. ex - Fernando Pessoa disse...

:-)

ainda bem. de certa forma isto serve para despertar as consciências.

Me disse...

SG - Ex Fernando Pessoa,

:)

Tankiu.

Me.

S. G. ex - Fernando Pessoa disse...

:-)

ora essa. nós é que agradecemos o tempo que tu perdes nas tuas reflexões. e eu só partilho algumas coisas aos mais distraídos...

Me disse...

Então não é tempo perdido, bolas!
:)

Da próxima vez que estiver em Braga, vou-me lembrar dos Cinco P's (já me tinham explicado a teoria... adorei...) e, consequentemente, da tua visão dos mesmos :)

S. G. ex - Fernando Pessoa disse...

e serás bem vinda :-) qualquer dica já sabes, alerta geral no blog e pára tudo só para dar indicações

(é que este pessoal é da borga e conhce uns bons sítios para jantares, copos e noite...ah e o resto dos monumentos também)

Me disse...

Sim... pois... claro... os Monumentos... esses... pois...
;)

Por acaso, conheço pouco de Braga... a não ser o caminho de e para os clientes que vou visitando... Todos na zona histórica... Esses e o estacionamento em que se deixa o carro na rua... chave na ignição... Vocês, pá...
:)

Anónimo disse...

O Bom Jesus do Monte à noite é que é bonito.
The Good Jesus of the Hill it´s pretty at night.

S. disse...

Por uma porta entreaberta pode não entrar apenas frio...pode tb ser o veículo do ar que respiramos...mas pode evitar que se abram outras...

Me disse...

S.G, desculpa o abuso...

S.,
Exactamente! Pode dar ar, sim, se assim o desejarmos. Concordo contigo quando dizes que também impede que se abram outras! É isso mesmo. Enquanto andamos a espreitar, não vimos mais nada.
Queria apenas agradecer essa perspectiva. Ainda não a tinha contemplado...

S.G.,
Desculpa... mas é que gostei mesmo :) Sou muito arrumadinha... ;) não consigo evitar!!!!!!

S. G. ex - Fernando Pessoa disse...

s,

eu discordo. só deixo portas entreabertas o tempo necessário. recuso-me a passar uma vida à espera que alguém me dê autorização para entrar. nisso sou "arrumadinho". tudo no sítio. é uma questão de dedicação. eu não vejo o amor se não for como uma tarefa árdua de entrega diária.

Me,

qual desculpa, qual quê?! eu é que agradeço que tenhas essa bondade de ajudar na arrumação aqui do espaço. e de braga já vi que conheces alguma coisa :-) menos os verdadeiros locais de culto de baco e todos os outros divinos deuses que se dedicam a uma boa refeição.

bjs e bjs respectivamente :-)

Me disse...

"eu não vejo o amor se não for como uma tarefa árdua de entrega diária." Caredo homem!
Mas que amor é o teu que está tão próximo do sofrer? Sofrer por amor... uma coisa... Sofrer o amor... outra!
Quase que falas de castigo!

As portas tanto dão para entrar como para sair. Guardam o que estiver dentro delas; protegem do que está do lado de fora. Quando algures se fecha uma porta, noutro algures de abre uma janela... Nós é que às vezes não conseguimos ver as janelas que há para abrir... Até fecharmos a merda da porta. Ou entra ou sai. Ou fico ou vou. Simples, né?

O amor, para mim, não é contrário do sofrimento... mas é aquilo que nos faz saltar o estômago... é o que nos faz ruborizar as bochechas... tremer as mãos... é o que nos faz mandar msgs tótós sem nexo... é o que nos faz ir pelo caminho A em vez de pelo caminho B. É o que torna tudo num prazer e nunca numa tarfea... muito menos árdua (o que não quer dizer que seja fácil...) Amores sofridos? Árduos? Esses são os das portas a fechar.
Entrega e dedicação sim. Sempre. Mas não ao ponto de parecer que se está a picar o ponto...
Preocupas-me. Ou talvez eu me preocupe. Sei lá. Parece o 8 e o 80!!

(ainda bem que não levaste a mal ter respondido aos teus comentadores... ufa!)
:)
beijos

S. G. ex - Fernando Pessoa disse...

caredo (muito bom :-)

eu não falei em sofrer, ams o amor é duro...se queres lutar por manter uma relação, tens de te armar de armas simples, dedicação por exemplo. mas essa dedicação resulta num prazer que mesmo que tente não to consigo explicar. a alegria constante não existe. para mim a felicidade é de um sossego tal que alguns chamam de pasmaceira, eu vejo no calmo acordar de um domingo solarengo a felicidade vestida de mulher.

tens toda a razão no que toca à descrição do que é o amor. é isso tudo e muito mais (e achas que não dá trabalho?)

mas isto sou eu que sou metódico (até alguém me tirar do sério - ou seja uma mulher que queira conhecer esse lado do amor)

e as janelas que se abrem? pois por isso é que eu não insisto em portas semicerradas (posso apertar os dedos ao espreitar :-)

obrigas-me a escrever bastante (ainda aprendo a arrumar o meu blog. um dia chegas aqui e isto cheira a rosas, e do pó nem rasto :-)

:P

Me disse...

Ai eu obrigo-te a escrever bastante? hihihihi!! Talvez sejas tu quem tem muito para dizer... ninguem para "ouvir..." Liberta-te, homem! :) Mete o avental, pega na vassoura, e atira-te ao trabalho :)

É claro que o amor dá trabalho. Se não desse... Que piada teria? Uma trabalheira mesmo. Passamos metade do tempo a conjugar esforços para nos tornarmos felizes e fazermos o outro feliz. Canseira.

Alegria... pasmaceira... amor é duro... dá trabalho... Depende dos amores.
É claro que a tranquilidade de que falas (a tal pasmaceira boa de sabermos que basta esticar a mão no tal domingo de manhã e de imediato nos sentimos sossegados e bem...) faz parte. Eu acredito muito que um amor assim daqueles bons, deve ser bastante tranquilo. Mesmo no meio do tal caos, que haja essa tranquilidade. Essa segurança.
O amor é duro. Sim! Custa como tudo. Mesmo quando é muito e do bom, custa... Podemos perdê-lo...

Ehhh. Acredito mesmo que depende das pessoas. Do "Nós" que contruimos com outra pessoa. Pessoa essa que nos pode mostrar um lado do "eu" que desconheciamos... que nos pode mostrar um amor diferente.
Nunca tive um "amor" igual por mais do que uma pessoa... e duvido que me tenham amado da mesma forma... E sou sempre Eu quem lá está... Não sei se me expliquei bem.
Acho que me vou calar...

Venham as rosas! :)

S. G. ex - Fernando Pessoa disse...

:D

se fossemos a medir pelo tamanho dos textos, a vontade de falar, minha querida (abusado) a menina teria muito que desabafar :-)

e o amor nunca pode ser igual pelas pessoas, apesar de asseverar que o meu foi sempre intenso e exclusivo.

"que trazes tu no teu regaço senhora? são rosas....são rosas..."

bj

Me disse...

Ui...

:)