quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

2009 [11]

[1448]
.
penso: talvez seja hora de renegar o peso do mundo que me obrigo a carregar sacralizando o meu corpo.
.
"don't carry the world upon your shoulders." *
.
penso: talvez o amor esteja escondido numa intrincada fórmula, de soma de núcleos carregados de adn indecifrável, e que juntos se fundam em pedaços de céu amarrotado nos dedos.
.
"remember to let her into your heart,
then you can start to make it better." *
.
penso: talvez seja a hora de interceder pelo resultado da soma das artes humanas em prol da anuência tácita da minha fraqueza pelo teu olhar.
.
"dont let me down.
you have found her, now go and get her." *
.
.
* (hey jude - beatles)
.

12 comentários:

Anónimo disse...

Nem de propósito, hoje mesmo saiu um artigo na "Nature" sobre a biologia do amor:

"Being human: Love is the drug

A seemingly very 'human' emotion, love is more often the province of poetic fancy than of scientific analysis. But now the animal studies that demystified emotions such as fear and anxiety are beginning to illuminate the mental states associated with love. This has implications for the nature of human sexuality — and could even lead to drugs to enhance or diminish our love for another. The 'Being Human' essay series is available on http://tinyurl.com/55ncjj."

S. G. ex - Fernando Pessoa disse...

esse estado mental associado ao amor, desmistificado nos animais, nunca pode deixar o medo ou a ansiedade dominar-nos, nem pode de alguma forma levar-nos a perder o amor por alguém.


ou então explica lá melhor a tua teoria :P

Anónimo disse...

"Poetry it is not. Nor is it particularly romantic. But reducing love to its component parts helps us to understand human sexuality, and may lead to drugs that enhance or diminish our love for another [...].
in humans, different forms of the AVPR1A gene are associated with variation in pair bonding and relationship quality. A recent study shows that men with a particular AVPR1A variant are twice as likely as men without it to remain unmarried, or when married, twice as likely to report a recent crisis in their marriage. Spouses of men with the variant also express more dissatisfaction in their relationships than do those of men lacking it."

Biology matters! :p

Me disse...

Pronto.
Lá se foram milénios de sentimentos e emoções e gritos de alma de arrebatamentos de coração e sonhos e noites mal dormidas e sorrisos e calores e calafrios...
Ehhh.
Quer dizer que temos de ir ao médico para ver se conseguimos amar? Mais uma coisa para perguntar à médica. Ora bolas.

'Tá mal.

Me disse...

PS:
SG.,
Adorei este post. Adorei. Muito honesta, sincera e verdadeiramente.
Beijos para ti.

K disse...

Não andarás a pensar demais? ;]

S. G. ex - Fernando Pessoa disse...

anónimo,

tudo isso é bonito, cientico, certinho, mas haverá cura para o desvario, a loucura, a insana invasão do amor? :p

me,

dizem que os sexologos percebem disto, mas não sei se percebem de sexo, é que em casa de ferreiro, espeto de pau :) beijinho

k,

acordei a meio da noite e nao conseguia adormecer, estava com a música na cabeça e cruzei informação. não tem nada de especialmente meditativo, aliás nada do que se escreve aqui tem. mas tem significado.

PKB disse...

la la la la la la la la la la, hey jude....

Beijinhos!

PKB disse...

faltou um "la"

S. G. ex - Fernando Pessoa disse...

ju ju ju, jude, yeah!

:)

Barbie Martini disse...

S.G, gostei particularmente dos excertos. Não seja essa umas das minhas musicas predilectas.

kiss kiss

S. G. ex - Fernando Pessoa disse...

tenho estado a ouvir no carro, "N1" tipo best of. é muito bom, todas as músicas se ouvem bem...

kiss kiss (esta tua assinatura denota bom gosto :)

bom fim-de-semana